Notícias » Canadá

Mulher é agredida verbalmente em hospital no Canadá antes de morrer

O caso foi registrado e transmitido em uma live no Facebook

Giovanna Gomes Publicado em 01/10/2020, às 11h07

Joyce Echaquan era da tribo dos Atikamekw
Joyce Echaquan era da tribo dos Atikamekw - Imagem: Divulgação

Joyce Echaquan, mulher de 37 anos e mãe de sete filhos, deu entrada em um hospital no último fim de semana queixando-se de dores no estômago e precisou ser internada. No entanto, foi surpreendida ao ser xingada por funcionários do local.

Em um vídeo que foi transmitido em uma live no Facebook é possível ouvir um deles dizendo “você é burra demais” em francês. Em seguida, um segundo funcionário ataca a vítima dizendo que ela fez escolhas ruins na vida e questiona qual seria a reação de seus filhos se a vissem daquela maneira.

Em entrevista à CBC, Carol Dubé (marido da vítima), afirmou ainda que a esposa disse a  ele que estava recebendo muita morfina. Ela tinha problemas no coração.

A mulher, que era da tribo dos Atikamekw, acabou por falecer na segunda-feira, 28, dois dias após ter sido internada, e protestos foram marcados na reserva Manawan, sua comunidade natal localizada a cerca de 340 quilômetros de Quebec. Os manifestantes cobram o governo provincial por medidas em relação ao caso.

Em resposta, o governo local afirmou ter aberto inquérito judicial e uma investigação administrativa, sendo que um enfermeiro foi demitido. Em uma coletiva sobre a covid-19, o primeiro-ministro de Quebec, François Legault reconheceu que a situação era inaceitável, mas ao contrário do que muitos têm afirmado, não acredita que se trate de um caso de racismo.