Notícias » África

Mulher presa por insultar presidente ugandense é absolvida

A ativista e acadêmica Stella Nyanzi foi condenada a 18 meses de prisão após postar uma publicação ofendendo o governante do país no Facebook em 2018

Isabela Barreiros Publicado em 20/02/2020, às 14h22 - Atualizado às 14h23

Stella Nyanzi, ativista ugandense
Stella Nyanzi, ativista ugandense - Getty Images

A ativista ugandense Stella Nyanzi foi presa em 2018, condenada a 18 meses de prisão, depois de uma postagem publicada em seu Facebook onde ela criticava o presidente de seu país. De acordo com a BBC World, ela foi libertada hoje, 20.

O juiz considerou que a publicação foi um "ataque brutal à pessoa do presidente e sua falecida mãe". A acadêmica escreveu um poema onde usava a metáfora do nascimento de Yoweri Museveni para descrever sua repulsa ao governo de mais de 30 anos. Ela citou também que desejava que ele tivesse sido queimado pelo "pus ácido" da vagina de sua mãe.

"Por que eu estava na prisão, porque escrevi um poema? ​​Porque expressei meu profundo desinteresse e repulsa pelo regime NRM (Movimento Nacional da Resistência)?", questionou Nyanzi após a sessão.

Ela permaneceu encarcerada na Uganda durante aproximadamente 15 meses. Durante o julgamento de hoje, houve uma grande agitação quando ela foi absolvida. Segundo a agência de notícias Reuters, funcionários da prisão teriam tentado leva-la de volta para sua cela.