Notícias » Estados Unidos

Mulher tem perna amputada e pode receber indenização de mercado

Caso aconteceu em uma loja em Florence, nos EUA, em 2015; seu desfecho, contudo, se deu apenas recentemente

Isabela Barreiros Publicado em 02/12/2021, às 14h00

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - Divulgação/ Pixabay/ rodrigolopesjau

Uma mulher irá receber uma indenização no valor de US$ 10 milhões, mais de R$ 50 milhões, após ter pisado em um prego enferrujado enquanto visitava uma loja do Walmart, nos Estados Unidos, o que fez com que ela precisasse amputar uma perna.

Tudo começou quando April Jones fazia compras em uma unidade do supermercado na cidade de Florence, Carolina do Sul, onde vive, em junho de 2015. Na ocasião, logo depois de sentir uma dor imensa, a mulher percebeu que um prego havia perfurado seu sapato e ficado preso em seu pé.

Ela foi rapidamente levada a um hospital local e recebeu tratamento médico, mas precisou passar por uma série de cirurgias devido à exposição à ferrugem. O resultado foi a amputação da perna ferida e uma vida em cadeira de rodas há seis anos.

Jones, então, decidiu abrir um processo contra a empresa. O caso, contudo, teve um desfecho apenas no último mês, com a decisão de um júri do condado de Florence. O julgamento definiu que a mulher deverá receber a indenização pelos danos sofridos, além do pagamento das despesas médicas passadas e futuras.

A defesa da norte-americana também alegou que ela usará parte do dinheiro para comprar uma prótese e uma reforma na casa em que vive, com objetivo de transformá-la em uma residência acessível para pessoas em cadeiras de roda.

"O júri enviou uma mensagem ao Walmart que se você entrar no condado de Florence e ferir um dos seus, eles farão com que a pessoa seja tratada", afirmou um dos advogados de Jones, Roy Willey IV. "Somos eternamente gratos."

O porta-voz do Walmart questionou a decisão do júri e já entrou com ações pós-julgamento, como relatou o UOL, com informações do The Washington Post.

"O Walmart trabalha muito para ajudar a garantir que todos os clientes tenham uma experiência segura de compra em nossas lojas", informou. "Agradecemos o serviço prestado pelo júri, no entanto, não acreditamos que o veredicto seja apoiado por evidências ou que a lesão da Sra. April Jones resultou do que foi alegado em sua reclamação."