Notícias » Arte

Museu australiano examina se pintura de 400 anos vale milhões de dólares

A autoria do item pode ser atribuída a um dos maiores nomes da pintura durante o século 17

Wallacy Ferrari Publicado em 21/04/2022, às 11h05

Quadro descoberto na Austrália
Quadro descoberto na Austrália - Divulgação / National Trust Of Australia

Um grupo de especialistas examinam uma curiosa pintura de mestre holandesa, datada em 400 anos, descoberta em um depósito na Austrália. Posteriormente enviada a um museu conhecido como Woodford Academy nas Montanhas Azuis, em Nova Gales do Sul, a instituição desconfia tratar-se de um item de milhões caso sua veracidade seja confirmada.

Intitulado “Still Life”, o quadro foi mantido desconhecido por muitos anos até ser descoberto em meio a uma coleção de 60 mil itens doada ao National Trust of Australia (NSW). Contudo, a autoria desta obra em específico está sendo atribuído a “Gerrit Willemsz. Heda”, filho do famoso pintor holandês do século 17 “Willem Claesz. Heda”.

Willem é reconhecido como um dos maiores nomes da chamada ‘Idade de Ouro Holandesa’, tendo outros artefatos de sua autoria vendidos a aproximadamente US$ 4 milhões (cerca de R$ 18,4 milhões na cotação atual). Agora, os especialistas analisam as principais características do item para confirmar se o artista pôs as mãos na obra.

Contudo, as análises iniciais são otimistas, como revelou o coordenador do projeto e CEO da International Conservation Services, Julian Bickersteth: “É um momento raro e extremamente emocionante”, disse em comunicado replicado pela CNN Brasil.

Como é a pintura?

A peça trata-se de uma pintura do gênero 'natureza morta', ou seja, que retrata objetos inanimados de maneira detalhada. Neste caso, há uma uma mesa coberta por uma toalha branca até sua metade, com diversos itens já comidos, como taças vazias, pratos sujos, uma torta, nozes e um pão ao lado de um candelabro.