Notícias » Mundo

Musk vs. Gates: fundador de Microsoft questiona novas diretrizes que o Twitter pode seguir

Bill falou sobre a liberdade de expressão defendida por bilionário e outros tópicos, confira

Alan de Oliveira | @baco.deoli Publicado em 05/05/2022, às 11h39

Elon Musk e Bill Gates
Elon Musk e Bill Gates - Getty Images

Para um dos criadores da Microsoft e listado como uma das pessoas mais ricas do mundo, Bill Gates, a compra do Twitter feita por Elon Musk, pode piorar a situação do uso da internet, e ainda questionou o que verdadeiramente é “liberdade de expressão”, em entrevista dada ao “Wall Street Journal”, nesta quarta-feira, 4.

 “Ele realmente poderia torná-la pior’, disse o empresário a respeito das possíveis novas mudanças da rede social sob o domínio completo de Musk.

Mas não se conteve apenas em criticar um de seus colegas no ranking de maiores patrimônios, ele também afirmou que o dono da "Tesla" e "SpaceX", tem conseguido feitos e números impressionantes com ambas as companhias.

O que para ele, credencia qualquer pessoa a ter um voto de confiança, antes de qualquer de julgamento mais enfático, segundo o portal “Olhar Digital”.

Em outro questionamento voltando para a pauta de liberdade de expressão, Gatesainda diz que estar com sérias dúvidas de como ele alterará essa ideologia em meio à plataforma: 

 “Ele fala sobre abertura[de qualquer ideia e forma de expressão], como ele se sente sobre algo que diz que as vacinas podem matar as pessoas? Ou que Bill Gates está rastreando pessoas? Essa é uma das coisas que ele acha que deveria se espalhar? Não está totalmente claro o que ele vai fazer”, indagou.

Bill Gates x Elon Musk não é novidade

Não é a primeira vez que os dois inovadores no mundo da tecnologia trocam farpas. Já tiveram debates por meio das redes sociais, em decorrência de diversas pautas muito atuais, como a COVID-19, carros elétricos, e até a colonização de Marte. Em abril, o dono da Tesla chegou a postar uma foto ao lado de Gates, com um emoji de homem grávido.

A mensagem por desenho veio logo depois que jornal “New York Times” revelou trechos de uma conversa que Elon recusa encontrá-lo após possíveis vendas de ações da montadora, o que foi interpretado como uma desconfiança da capacidade da empresa.