Notícias » Mundo

Na Angola, membro do exército é acusado de matar adolescente que não usava máscara

O militar foi detido recentemente e será julgado pela justiça angolana

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 31/05/2021, às 13h41

Fotografia meramente ilustrativa de munição
Fotografia meramente ilustrativa de munição - Divulgação / Pixabay / MasterTux

No último sábado, 29, um adolescente de apenas 14 anos que estava andando nas ruas de Angola sem usar máscara morreu após ser baleado. Nesta segunda-feira, 31, um militar foi detido sob a acusação de ter assassinado o garoto. O caso foi divulgado pelas autoridades locais e repercutido pelo site MSN. 

As exatas circunstâncias do ocorrido ainda estão sendo investigadas. O que se sabe até então é que o oficial das Forças Armadas parou três adolescentes que não estavam respeitando a medida de contenção da covid-19, que é considerada obrigatória pelo governo angolano. 

Posteriormente, o militar disparou duas vezes e acertando o antebraço do menor de idade. A despeito de ter sido levado às pressas para o hospital mais próximo, o rapaz acabou não resistindo e vindo a óbito.

Ainda conforme o MSN, o oficial suspeito de ser o autor dos tiros foi detido, e será devidamente julgado pelos órgãos de Angola, de forma a ser "visada a sua responsabilização criminosa”, de acordo com o comunicado pelo governo local.