Notícias » China

Na China, homem é preso por 'difamar' soldados do país em seu blog

Aos 38 anos, Qiu Ziming foi acusado de “caluniar heróis e mártires” da nação que estavam em confronto na fronteira com a Índia

Pamela Malva Publicado em 01/06/2021, às 13h00

Fotografia de soldados na fronteira do Himalaia
Fotografia de soldados na fronteira do Himalaia - Getty Images

No dia 10 de fevereiro deste ano, o blogueiro Qiu Ziming, de 38 anos, fez alguns comentários sobre os soldados mortos em um confronto contra a Índia na fronteira do Himalaia. Agora, segundo a BBC, o homem foi condenado a oito meses de prisão.

De acordo com o jornal Global Times, Qiu fez suas publicações no Weibo, um site que hospeda microblogs, onde o homem tem mais de 2,5 milhões de seguidores. Por isso, ele foi considerado culpado por “caluniar heróis e mártires” da nação.

Acontece que Ziming é o primeiro acusado criminalmente pelo ato, após uma nova emenda ser adicionada à legislação criminal da China. Segundo a lei recém-instituída, os acusados podem ser presos por até três anos. Qiu, por sua vez, também foi obrigado a se desculpar em rede nacional, onde disse estar "extremamente envergonhado".

Logo depois da detenção do acusado, o Weibo também suspendeu a conta de Qiu por um ano. Uma vez nas mãos da polícia, Ziming ainda confessou seu “comportamento ilegal para chamar a atenção dos internautas, distorcendo fatos no Weibo e caluniando e rebaixando os heróis que defendem a fronteira”.

Confronto duradouro

Há cerca de 45 anos, a China e a Índia lutam pelo controle de 3.440 km da fronteira do Himalaia, uma parcela de terra conhecida como Linha de Controle Real. Segundo a BBC, o conflito se deu porque a divisão da fronteira foi mal definida no passado.

Desde então, tropas de ambos os lados permanecem em constante confronto a fim de garantir a liderança sobre o território. Foi uma dessas batalhas, que terminou com as mortes de diversos soldados chineses, que Qiu Ziming criticou em seu blog no Weibo.

Agora, no entanto, China e Índia finalmente concordaram em se desligar da polêmica região. Dessa forma, ambas as nações estão retirando suas tropas de algumas partes da Linha de Controle Real, a fim de acabar com o custoso confronto.