Notícias » Múmias

Na Índia, múmia de 2.400 anos é "resgatada" após inundação

Os restos foram removidos às pressas de um museu após fortes chuvas atingirem a cidade de Jaipur

Caio Tortamano Publicado em 18/08/2020, às 15h46

Múmia teve que ser resgatada às pressas
Múmia teve que ser resgatada às pressas - Divulgação

Pela primeira vez em 130 anos de descoberta, uma múmia de 2.400 anos foi retirada de sua proteção no museu Albert Hall, em Jaipur, Índia, para que não fosse consumida pela água. Infelizmente, chuvas torrenciais inundaram as ruas de Jaipur, invadindo, inclusive, o museu no qual a múmia repousava.

De acordo com O Tribune, jornal diário indiano, caso não tivesse sido retirada rapidamente a relíquia trazida do Egito — especificamente do Cairo, há 130 anos — poderia ter sido destruída. Para isso, a proteção de vidro em volta do sarcófago foi destruída e a múmia levada para um local seguro.

A atração do Albert Hall Museum são os restos de uma mulher chamada Tutu. Apesar de ter chegado há mais de 100 anos na Ásia, foi somente em 2017 que passou a ser exposta ao público do museu, com informações a respeito de sua vida, processo de mumificação e raio-x completo.

As chuvas

O departamento de arqueologia do museu foi amplamente afetado pelas chuvas, tendo inundado completamente. Para secar todos os arquivos, centenas de papéis tiveram que ser espalhados em espaços abertos. 

O responsável pelo departamento, Prakash Chandra Sharma, afirmou: “Todos os arquivos ficaram encharcados porque a água subiu até um metro e meio no escritório. Laptops, impressoras, computadores e papéis de carta se tornaram inutilizáveis ​​e não funcionais”.