Notícias » Itália

Na Itália, mulher mantém corpo da mãe em sua casa por falta de covas

A italiana morreu por conta do coronavírus em fevereiro e não foi enterrada pela indisponibilidade de vagas em cemitérios de Palermo

Alana Sousa Publicado em 08/03/2021, às 14h30

Imagem do caixão da italiana
Imagem do caixão da italiana - Divulgação/Giusy La Mantia

A pandemia do coronavírus está causando episódios traumáticos para famílias italianas. Conforme noticiou o portal UOL, uma mulher está tendo que manter o caixão de sua mãe dentro de casa pelos últimos 14 dias, isso, pois, não havia vagas em cemitérios da região para que a falecida fosse enterrada.

A mulher, chamada Giusy La Mantia, deu uma entrevista ao jornal The Sun na qual contou que a mãe havia morrido em 19 de fevereiro, logo após o óbito ela contatou uma agência funerária, que informou que não tinha covas disponíveis em Palermo.

"Pensamos que era apenas uma questão de um ou dois dias, no máximo. Só o tempo necessário para organizar o enterro", afirmou Mantia. Diferente do que pensava, passaram-se duas semanas e nada de uma resposta para o cadáver que está prestes a entrar em decomposição.

Giusy lastimou: "Não há espaço em lugar nenhum. Você nem mesmo pode morrer com dignidade nesta cidade". Ainda que as autoridades do país estejam trabalhando em medidas de exumação em corpos com mais de duas décadas de idade, não se sabe se a italiana conseguiu dar um último descanso para sua mãe.

Coronavírus na Itália

Nas últimas 24 horas, a Itália apresentou 207 mortes por Covid-19, além de mais de 20 mil novos casos. Totalizando 3 milhões de infectados e pouco mais de 99 mil vítimas da pandemia.