Notícias » Mundo

Na Itália, polícia usa canhões de água para dispersar manifestação contrária a Bolsonaro

O mesmo tratamento das autoridades não foi relatado nos atos a favor do presidente

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 01/11/2021, às 17h12

Imagem mostrando veículos e jatos de água em Pádua
Imagem mostrando veículos e jatos de água em Pádua - Divulgação/ Globo

A visita de Jair Bolsonaro à cidade de Pádua, na Itália, gerou protestos nesta segunda-feira, 1°. Os manifestantes, que se posicionavam contra a presença do líder brasileiro, foram reprimidos pela polícia italiana, que usou canhões de água, segundo informações divulgadas pelo g1.

O presidente foi ao país para participar da reunião da cúpula do G20, que discutiu assuntos de relevância internacional, como crise climática e saúde. 

Em outro episódio semelhante, Bolsonaro saiu para um passeio nas proximidades da embaixada brasileira em Roma no último domingo, 31, após o fim da conferência internacional. Na ocasião, ele aproveitou para comparecer a um ato a seu favor.

Quando jornalistas se aproximaram para questioná-lo a respeito do evento, porém, acabaram sendo agredidos por seguranças e policiais que rodeavam o político

Entre as vítimas estiveram correspondentes de veículos grandes, como Leonardo Monteiro, da Globo, Jamil Chade, que tem uma coluna no UOL, e Ana Estela, da Folha de São Paulo.