Notícias » Ucrânia

Na Ucrânia, sequestro acaba após presidente promover documentário narrado por intérprete do Coringa

Joaquin Phoenix narra um documentário que foi utilizado como exigência para o sequestrador libertar pessoas dentro de um ônibus

Caio Tortamano Publicado em 22/07/2020, às 15h52

Joaquin Phoenix, ator premiado por seu papel como Coringa
Joaquin Phoenix, ator premiado por seu papel como Coringa - Wikimedia Commons

Um sequestro com reféns causou muita tensão no ambiente político da Ucrânia. Treze passageiros de um ônibus foram rendidos por um homem, que só concordou em liberá-los com uma condição inusitada: um documentário narrado por Joaquin Phoenix, ator ganhador do Oscar por seu papel como Coringa, teria que ser promovido no país.

O presidente do país, Volodymyr Zelensky, foi quem interveio para que a exigência do criminoso — identificado como Maksym Kryvosh — fosse aceita. Kryvosh é um ativista radical dos direitos animais que já conta com passagens pela polícia por porte ilegal de armas.

As negociações, que duraram cerca de 12 horas, envolveram troca de tiros e ameaças de explosão. Felizmente, ninguém saiu ferido. A interação entre o presidente do país e o ativista durou cerca de 10 minutos. Assim, Zelensky concordou em divulgar o documentário chamado Terráqueos. Além disso, ele também teria que publicar um vídeo de seis segundos em seu Facebook oficial falando para a população assistir a obra narrada por Phoenix.

A publicação foi apagada assim que os reféns foram soltos, e no lugar, o presidente ucraniano postou uma mensagem parabenizando o corpo policial.

O documentário promove assuntos pró-natureza, especialmente o veganismo, mostrando como diversas indústrias agridem o meio ambiente, seja pela morte de animais ou desmatamento. A obra discute setores de alimentação e até mesmo a indústria da moda.