Notícias » Brasil

Na UTI diante de complicações da Covid-19, Agnaldo Timóteo 'tem uma pequena melhora'

O artista foi internado na última semana no Rio de Janeiro

Redação Publicado em 23/03/2021, às 09h42

O astro em ensaio realizado em 2013
O astro em ensaio realizado em 2013 - Wikimedia Commons/ Jardiel Carvalho

A assessoria de imprensa do cantor Agnaldo Timóteo deu novas informações sobre o estado de saúde do astro, internado diante das complicações causadas pela Covid-19.

Através de novidades repercutidas pelo Terra, fora informado que o artista foi levado de volta para UTI no último sábado, 20. Internado desde dia 17, Agnaldo havia saído da Unidade de Terapia Intensiva no dia 19.

Ontem, 22, o Estadão apurou com Timotinho, que é assessor e sobrinho do artista, que Agnaldo teve uma pequena melhora no quadro hospitalar.

"Agnaldo Timóteo segue internado na UTI no Hospital Casa São Bernardo, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, e tem uma pequena melhora da covid-19. A família agradece o apoio e a solidarização de todos", explicou Timotinho.

A internação

A informação de que Timóteo havia sido internado foi divulgada através do sobrinho nas plataformas online no dia 18 de março.

"Uma imensa corrente de fé está sendo formada em prol do restabelecimento do seu quadro de saúde. A família agradece o carinho e as orações que vem recebendo de inúmeras pessoas e registra um agradecimento especial para a Rede Hospital Casa, que vem dedicando com a máxima excelência o atendimento prestado ao nosso querido Agnaldo Timóteo", disse o sobrinho em comunicado.

Agnaldo fora imunizado contra a Covid-19 no último dia 15 de março, no entanto, acabou sofrendo com o vírus antes de ser vacinado com a segunda dose.

O artista já havia tomado a primeira dose da vacina contra a doença no dia 15 de março, mas contraiu o vírus antes de receber a segunda dose do imunizante.

Sobre a Covid-19

De acordo com as últimas informações divulgadas pelos órgãos de saúde, atualmente, o Brasil registra 12.047.526 de pessoas infectadas, e as mortes em decorrência da doença já chegam em 295.425 no país.  

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano.  

De lá pra cá, a doença já infectou 123 milhões de pessoas ao redor do mundo, totalizando mais de 2,7milhões de mortes.


++ Fonte da imagem: Jardiel Carvalho, sob licença Wikimedia Commons.