Notícias » Brasil

'Não é Renato Russo, é Legião Urbana', diz Dado Villa-Lobos sobre fitas apreendidas na operação 'Tempo Perdido'

Para o guitarrista do grupo de rock que marcou gerações, a operação é ‘bizarra’ e ‘estranha’

Redação Publicado em 11/12/2020, às 15h04

Dado Villa-Lobos em maio de 2012
Dado Villa-Lobos em maio de 2012 - Wikimedia Commons

De acordo com informações publicadas pela Folha de São Paulo na última quinta-feira, 10, o guitarrista do grupo musical Legião Urbana, Dado Villa-Lobos, não está satisfeito com a chamada operação ‘Tempo Perdido’, um desdobramento da operação 'Será?'.

O processo realizado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro apreendeu 91 itens da banda da qual Dado fez parte. Para o músico, a operação é considerada ‘estranha’ e ‘bizarra’.

O guitarrista afirma que as fitas apreendidas na operação não dizem respeito somente ao vocalista da banda Renato Russo — que faleceu no ano de 1996. “Não é Renato Russo, é Legião Urbana [...] Isso me pertence, pertence ao Marcelo Bonfá e ao Renato Rocha”, disse Dado Villa-Lobos citando os outros membros do grupo.

A última operação realizada pela polícia no dia 9 de dezembro, apreendeu fitas cassete, fitas master e também CD’s, o material deve ser entregue para o filho de Renato, Giuliano Manfredini. Segundo a assessoria do rapaz, os itens teriam sido extraviados do local de origem sem seu conhecimento prévio. Contudo, Dado — que atualmente está em Lisboa, Portugal —, não concorda com isso.

"O que aconteceu ontem foi que a polícia e a Justiça brasileira invadiram a propriedade privada de uma multinacional chamada Universal Music, uma das maiores do planeta.”, afirma o guitarrista.

“Os discos, os fonogramas da Legião até [o disco realizado em 1997] ‘Uma Outra Estação’ pertencem à companhia de discos, Universal. E é claro que durante o processo de gravação tiveram sobras, coisas que a gente não usou e que ainda estão lá”, afirmou o músico.

Em uma analogia à televisãoDado afirmou: “Imagine: chega um herdeiro da Janete Clair com um mandado judicial e a polícia civil entra nos arquivos da Globo e fala que quer as fitas de todas as novelas que a Globo já produziu. ‘Me dá aí que eu quero botar em casa’. É mais ou menos isso”, finaliza Villa-Lobos.