Notícias » Itália

Narcotraficantes foragidos da Itália são encontrados em João Pessoa

Depois de dois anos de investigações, a ministra do Interior da Itália celebrou a prisão de dois dos maiores fugitivos do país

Pamela Malva Publicado em 25/05/2021, às 13h40

Imagem meramente ilustrativa de prisão
Imagem meramente ilustrativa de prisão - Divulgação/ Pixabay/ Ichigo121212

Na última segunda-feira, 24, dois dos criminosos mais procurados da Itália foram detidos em um hotel em João Pessoa, na Paraíba. Agora, segundo o UOL, a ministra do Interior da Itália, Luciana Lamorgese, comemorou a prisão dos narcotraficantes.

Coordenada pelos agentes italianos em conjunto com a Polícia Federal do Brasil, a ação também contou com a ajuda de oficiais dos Estados Unidos e do Uruguai. Dessa forma, após dois anos de busca, Rocco Morabito e Vincenzo Pasquino foram detidos.

"Cumprimentos à Arma dos Carabineiros e ao Serviço para a Cooperação Internacional da Polícia Criminal pela operação, coordenada pelas Procuradorias Antimáfia de Reggio Calábria e Turim, que os levaram à prisão”, narrou Luciana, em nota oficial.

“Mais uma vez, a determinação, a dedicação e o profissionalismo de todos os investigadores envolvidos permitiram garantir a justiça, depois de dois anos de complexas e articuladas investigações", completou a ministra do Interior.

Fotografia da ministra Luciana Lamorgese / Crédito: Ministério do interior da Itália/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

Os criminosos

Considerado o segundo mais importante fugitivo do sistema penal italiano, Rocco Morabito é conhecido como o “rei da cocaína”. Ficando atrás apenas de Matteo Messina Denaro, mafioso que está foragido há mais de 30 anos, Morabito já foi preso uma vez no Uruguai, mas conseguiu fugir e manteve-se fora do radar desde 2019.

Vincenzo Pasquino, por sua vez, tem 31 anos e é considerado pela polícia como uma ponte entre os mafiosos italianos e a América do Sul. Segundo a ministra Luciana, ele fazia parte da “lista de fugitivos mais importantes" antes de ser encontrado no Brasil.

Tido como um membro importante da máfia, Pasquino estava foragido desde novembro de 2019, mas só foi adicionado à lista dos fugitivos procurados internacionalmente em janeiro de 2021, segundo revelou a polícia italiana nesta terça-feira, 25.