Notícias » Mundo

NASA e Agência Espacial Europeia se unem para defender a Terra de asteroides

Missão de contrato milionário tem previsão para começar em 2024

Ingredi Brunato Publicado em 17/09/2020, às 14h26

Imagem ilustrativa de asteroide vindo na direção da Terra
Imagem ilustrativa de asteroide vindo na direção da Terra - Divulgação/Pixabay

Duas das maiores agências de exploração espacial do mundo acabam de se juntar em um contrato de 129,4 milhões: trata-se da Agência Espacial Europeia (ESA) e a NASA, que é norte-americana, que decidiram colaborar na realização da missão Hera, que terá início em 2024, cujo objetivo é investigar maneiras de desviar asteroides perigosos da rota do nosso planeta. 

Esse projeto de proteção da Terra terá apoio de um total de oito países diferentes, sete deles europeus, e por fim o Estados Unidos. A mente por trás da ideia da missão Hera é um astrônomo e um dos maiores especialistas em asteroides já existentes, Andrea Milani, que infelizmente morreu em 2018.

"Isso é extremamente significativo porque é a coroação da ideia de Andrea Milani, proposta há muitos anos", comentou Franco Ongaro, que é o diretor da ESA, em entrevista à agência de notícias ANSA. “É uma missão fundamental porque estamos aumentando a capacidade de descobrir novos asteroides, e é a primeira vez, na realidade, que se tentará desviar a trajetória de um asteroide.” 

Para realizar o feito, os cientistas envolvidos na missão Hera irão primeiro obter todas as medidas de um asteroide específico, que tem o tamanho de uma montanha, e a partir daí, após terem reunido dados suficientes, desviá-lo de sua órbita. Não se trata de um corpo celeste que esteja ameaçando a Terra no momento, mas é uma simulação para quando essa situação chegar.