Notícias » Estados Unidos

Nasa homenageia Mary Jackson, sua primeira engenheira negra

A sede da agência agora possui o nome da mulher que marcou a história da indústria aeroespacial ao longo de 34 anos de atuação

Giovanna Gomes, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 27/02/2021, às 09h00

Mary Jackson foi uma importante engenheira
Mary Jackson foi uma importante engenheira - Divulgação/Nasa

O nome da primeira mulher negra a atuar como engenheira em uma equipe da Nasa, Mary Jackson, agora também é o título da sede da agência no estado norte-americano de Washington. A homenagem se deu na última sexta-feira, 26, e foi transmitida ao vivo no site e também das redes sociais da Nasa. De acordo com a CNN, a decisão foi anunciada ainda no ano passado.

Jackson, que morreu em 2005, aos 83 anos, foi funcionária da agência ao longo de mais de três décadas. Ela iniciou sua carreira como matemática de pesquisas e, logo, tornou-se a primeira pessoa do sexo feminino a desempenhar a função de engenheira.

Em seguida, passou para a parte administrativa da empresa, atuando no Gabinete de Oportunidades Iguais, no qual desenvolveu programas que foram importantíssimos para incentivar a entrada de outras mulheres na Nasa.

Mary foi uma figura tão marcante que, mais tarde, sua história foi retratada no livro "Estrelas Além do Tempo", de Margot Lee Shetterly, mais tarde adapatado para o cinema, com Janelle Monaé interpretando a cientista. Além disso, em 2019, Jackson recebeu, ainda que postumamente, a maior honraria dos EUA: a Medalha de Ouro Congressional.

"As instalações da Nasa em todo o país recebem os nomes de pessoas que dedicaram suas vidas para expandir as fronteiras da indústria aeroespacial. A nação está começando a perceber a necessidade crescente de honrar toda a diversidade de pessoas que tornaram nossa grande nação pioneira", declarou o ex-administrador da Nasa JimBridenstine em comunicado no ano passado.