Notícias » Arqueologia

Naufrágio de 200 anos é encontrado por pescador no México

O homem descobriu os destroços do navio ao procurar por peixes e lagostas em um enorme recife

Isabela Barreiros Publicado em 29/05/2020, às 08h00

Os destroços do naufrágio "Manuel Polanco"
Os destroços do naufrágio "Manuel Polanco" - Instituto Nacional de Antropologia e História

O pescador Manuel Polanco, enquanto procurava por peixes e lagostas na costa do estado mexicano de Quintana Roo, fez uma descoberta impressionante. No grande recife de Banco Chinchorro, que tem pelo menos 40,2 km de norte a sul e 16 km de largura, ele encontrou destroços de um antigo navio.

Assim que percebeu o que havia descoberto, chamou especialistas para que estes pudessem analisar os restos. Arqueólogos subaquáticos do Instituto Nacional de Antropologia e História foram até o local e determinaram que se tratava de um naufrágio de mais de 200 anos.

Crédito: Instituto Nacional de Antropologia e História

 

O navio foi nomeado de Manuel Polanco em homenagem a quem inicialmente o descobriu. Segundo o histórico dos pesquisadores do INAH, mais de 70 naufrágios estão no registro nacional da Reserva da Biosfera do Banco Chinchorro.

A equipe acredita que se trata de um navio de origem inglesa. As pessoas que estavam a bordo provavelmente tentaram se ancorar no recife para evitar que o navio encalhasse, mas ele acabou afundando de qualquer maneira, ao atingir o que era conhecido como “recife do pesadelo”.