Notícias » África

Naufrágios causam morte de pelo menos 50 imigrantes no Saara e na Mauritânia

Nas últimas 24 horas, dois barcos com destino às Ilhas Canárias afundaram, deixando mortos e desaparecidos

Isabela Barreiros Publicado em 08/08/2020, às 09h05

Nouadhibou, na Mauritânia
Nouadhibou, na Mauritânia - Wikimedia Commons

Conforme relata a EFE, ao menos 50 pessoas morreram em dois naufrágios distintos de barcos que tentavam chegar às Ilhas Canárias. Nas últimas 24 horas, as embarcações que carregavam imigrantes subsaarianos afundaram no litoral de Dakhla, no Saara, e próximo a Nouadhibou, na Mauritânia.

Os números ainda não estão fechados. Segundo jornalista e ativista por direitos humanos da ONG espanhola Caminando Fronteras, Helena Maleno, há um número ainda não conhecido de pessoas desaparecidas. “A cara do verão que não ocupa as capas”, protestou em seu Twitter.

Barcos de pesca e autoridades da Marinha Real reconheceram corpos nas águas a mais ou menos 20 quilômetros ao sudeste a Dakhla. Neste primeiro naufrágio, apenas dez pessoas foram encontradas e resgatadas com vida. Autoridades ainda estão realizando buscas pelo restante da tripulação.

No caso da embarcação que afundou na Mauritânia, apenas um sobrevivente com vida foi encontrado. Oficiais informam que ao menos 40 imigrantes morreram afogados devido a um problema no barco que fez com que eles pulassem no mar depois de dias à deriva.

Nesta semana, três embarcações afundaram e causaram dezenas de óbitos. Na tentativa de chegar nas Canárias, imigrantes tiveram seu barco afundado próximo à cidade de Tarfaya, no Marrocos. 40 pessoas foram resgatadas com vida e sete corpos foram encontrados.