Notícias » Inglaterra

Encontrado há 80 anos, navio fantasma voltará a navegar

Arqueólogos querem reconstruir a embarcação que serviu de túmulo para o rei Rædwald de East Anglia

Daniela Bazi Publicado em 09/12/2019, às 10h58

Imagem meramente ilustrativa de um navio macabro
Imagem meramente ilustrativa de um navio macabro - Wikimedia Commons

Conhecido como navio fantasma graças a sua preservação, a embarcação anglo-saxônica, encontrada em um túmulo em Sutton Hoo, na Inglaterra, foi responsável por diversas descobertas dessa civilização.

Datado do início do século VII, o navio tem 27 metros e foi o possível túmulo do rei Rædwald de East Anglia, membro da dinastia Wuffingas. Foi encontrado apenas com algumas partes, além dos rebites de ferro e com a madeira apodrecida.

Recentemente, arqueólogos e construtores de navios conseguiram criar uma maquete tridimensional que servirá de base para a reconstrução da embarcação. A ideia é que ela possa ser executada e ajude a esclarecer como a tradição dos anglo-saxões de navegações marítimas começou. A primeira viagem está prevista para 2022, com o início dos trabalhos marcado para o próximo mês.

Representação do enterro do rei Rædwald em seu navio encontrado / Créditos: Getty Images

 

Segundo Martin Carver, diretor da Sutton Hoo Ship’s Company, “Nossos objetivos são aprender como um navio inglês foi construído, seu desempenho no rio, lago e mar, seu manejo do vento e das marés - e não apenas para aprender o que é possível e registrá-lo, mas para descobrir como é. Portanto, nosso projeto contribuirá para o conhecimento de nossas costas e mares e o conhecimento dos primeiros ingleses, sua história, modo de vida e poesia.".

Historiadores estão acompanhando a investida e garantem que o navio será reconstruído com técnicas e materiais adequados a época. O projeto tem estimativa de 1 milhão de libras (aproximadamente 3 milhão de dólares). 

A Sutton Hoo Ship’s Company está em busca de marceneiros de madeira de carvalho verde que tenham experiência em construção de barcos tradicionais, catalogadores de dados e fotógrafos para que participem do projeto.

Também estão aceitando patrocinadores, onde membros do poder público com apenas 20 libras podem garantir 3.598 rebites de ferro para a reconstrução e receberão um crachá comemorativo com um cartão que os permitirá encontrar o rebite patrocinado no navio quando finalizado.