Notícias » Itália

Neta de Benito Mussolini, ex-senadora italiana assume ser de esquerda

Alessandra Mussolini afirmou que já não tem mais interesse em agradar o eleitorado neofascista e conservador do país

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 13/08/2021, às 10h00

Alessandra e Benito em montagem
Alessandra e Benito em montagem - Getty Images / Wikimedia Commons / Domínio Público

A ex-senadora Alessandra Mussolini, neta do ditador Benito Mussolini, se pronunciou publicamente após apoiar a criminalização da homofobia e transfobia na Itália. Com isso, ela assumiu ser "de esquerda", confirmando seu posicionamento progressista, ao contrário do regime fascista liderado pelo seu antepassado, como informa o UOL.

A revelação foi feita durante uma entrevista à revista Vanity Fair. Quando questionada sobre sua juventude e sobre a possibilidade de ter sido uma "garota de esquerda", Alessandra foi categórica: "Mas eu sou!". Em seguida, acrescentou que sexualidade não deve ser tratada como um tema mutável, visto que não é mudado como "uma roupa".

Anteriormente eleita deputada em cinco mandatos e senadora entre 2013 e 2014, ela chegou a ser símbolo da extrema-direita no país, se filiando a partidos de inspiração neofascistas — mas causou surpresa ao enfrentar parlamentares conservadores e a Igreja Católica pela lei contra a homofobia, posicionando-se politicamente.

"Antes me preocupava em não decepcionar meu eleitorado, mas agora: tchau, tchau. Sempre pensei algumas coisas, mas como estava sempre em um ambiente político, não podia dar espaço a elas", concluiu a neta de Benito Mussolini.