Notícias » Estados Unidos

Neta de vítima da seita de Charles Manson é morta a facadas nos EUA

Assim como a avó, Rosemary LaBianca, a jovem Ariana foi assassinada com diversos golpes de faca pelo corpo em uma cena macabra

Wallacy Ferrari Publicado em 10/12/2020, às 09h19

Fotografia pessoal de Ariana Wolk
Fotografia pessoal de Ariana Wolk - Divulgação

A polícia estadunidense divulgou no início dessa semana a captura de Jose Sandoval-Romero, responsável por matar Ariana Wolk, neta de Rosemary LaBianca — uma das vítimas fatais da Família Manson —, com golpes de faca.

O crime ocorreu em julho, mas as atualizações sobre a motivação e busca foram tornados públicos apenas no último mês deste ano.

De acordo com o Daily Mail, a mulher morava em Denver, nos EUA, e foi morta dentro de casa, tendo a cena do crime descrita como uma “piscina de sangue” pelo jornal britânico.

A investigação na residência apontou a presença de Jose Sandoval-Romero, que ficou foragido durante quatro dias, sendo encontrado em Colorado Springs, a 114 quilômetros do local da morte.

Após a captura, Jose admitiu o ato e a fuga, afirmando que se livrou das roupas ensanguentadas da vítima durante o caminho para a outra cidade. A autópsia apontou várias facadas no pescoço e nos braços e mãos, características de impedimento de defesa.

Apesar da semelhança, os investigadores não associam o parentesco a alguma relação com o culto Helter Skelter, ministrado no final da década de 1960 por Charles Manson.

Na ocasião, a avó de Ariana, Rosemary LaBianca, foi morta com o marido Leno em Los Angeles, sendo esfaqueados dezenas de vezes pelos seguidores da seita.

Na época, a filha Suzan não morava na mesma casa que a mãe, mas foi uma das pessoas responsáveis por encontrar o corpo do casal de comerciantes. Ainda viva, Suzan afirmou ao Daily Mail que ainda está de luto pelo falecimento da filha.