Notícias Espanha

Aos 92 anos, espanhol condenado no regime Franco por pichação política refaz a pichação

Em 1948, Nicolás Sánchez-Albornoz pegou a seis anos de prisão em campos de trabalho forçado por escrever “Viva a Universidade Livre!”. Ele fez de novo, e com várias razões

sexta 30 novembro, 2018
Uma das vítimas da ditadura de Franco
Uma das vítimas da ditadura de Franco Foto:Reprodução/ Lasexta

Passaram-se setenta anos desde que o jovem estudante de história Nicolás Sánchez-Albornoz foi condenado a seis anos de prisão em campos de trabalho forçado. O motivo: ele havia pichado o muro da Universidade Complutense de Madri com o slogan "Viva a Universidade Livre!". O estudante conseguiu escapar e se tornou historiador. Agora, aos 92 anos, Nicolás voltou ao local, para refazer a pichação. "Estou comovido", disse. “Quando eu estava na universidade, não podíamos imaginar ver um evento como este.”

A reprodução do slogan Reprodução

Foi o auge de um evento de homenagem a Nicolás Sánchez-Albornoz. A data escolhida foi simbólica: 20 de novembro, aniversário de morte tanto de Franco, que faleceu em 1975, quando de José Antonio Primo de Rivera, fundador do partido fascista Falange Espanhola, executado no ano de 1936. Neste dia, é comum que militantes neofascistas celebrem o legado do ditador.

Notícias Relacionadas

O general Francisco Franco tentou um golpe de estado em 1936, após a derrota do grupo ultraconservador que o apoiava nas eleições. Não conseguiu dominar o país todo e o que se seguiu foi uma brutal guerra civil, em que Franco contou com o apoio da Alemanha nazista e Itália fascista. Com sua vitória em 1939, governaria até a morte, em 1975, num período de brutal repressão. Os seus rastros ainda são visíveis em toda a Espanha.

Thiago Lincolins


Leia Mais:

Receba em Casa

Vídeos

Mais Lidas

  1. 1 Crianças que nasceram como resultado do horrível programa Há 82 anos, nazistas começavam seu repugnante programa de ...
  2. 2 Os quatro milênios da Babilônia
  3. 3 Uma tempestade chamada Pagu
  4. 4 Inquisição: A fé e fogo
  5. 5 Marginália: As alucinadas ilustrações dos livros medievais