Notícias » Música

No aniversário de dez anos da morte de Amy Winehouse, documentários sobre cantora são lançados

Na próxima sexta-feira, 23, a morte da artista completará uma década e contará com estreias que prometem dar uma nova compreensão à intérprete de ‘Rehab’

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 20/07/2021, às 10h43

Amy Winehouse em apresentação de 2007 em Londres, Inglaterra
Amy Winehouse em apresentação de 2007 em Londres, Inglaterra - Getty Images

Amy Winehouse foi uma das grandes artistas que morreu cedo demais. Em 23 de julho de 2011, o mundo da música dava adeus à cantora que marcou a história mesmo com apenas dois álbuns gravados em estúdio. Aos 27 anos, ela faleceu em decorrência de uma intoxicação por álcool.

Para homenagear Amy, cuja morte completará uma década na próxima sexta-feira, 23, dois documentários serão lançados, prometendo expor ao público uma faceta diferente da intérprete de ‘Rehab’. 

A primeira produção tem como objetivo trazer a visão da mãe da artista, Janis Winehouse. ‘Reclaiming Amy’ foi produzido pela BBC e será  exibido pela BBC Two, no Reino Unido, na próxima sexta às 21 horas. No Brasil, ainda não há previsão de estreia, mas o documentário ficará disponível na plataforma BBC iPlayer.

Janis foi escolhida pela BBC para dar sua luz ao documentário por ser uma "uma figura próxima de Amy de quem ainda temos muito a ouvir e cuja versão dos acontecimentos muitas vezes diverge da narrativa que nos foi contada antes".

"Não sinto que o mundo conheceu a verdadeira Amy, aquela que eu criei, e anseio pela oportunidade de oferecer uma compreensão de suas raízes e um vislumbre mais profundo da verdadeira Amy", disse a mãe da cantora sobre o documentário produzido.

A segunda obra contou com produção da MTV e Paramount+. ‘Amy Winehouse e Eu: A História de Dionne Bromfield’ partirá do ponto de vista de Dionne, afilhada de Amy, e será transmitido no canal da MTV na próxima terça-feira, 27, às 19h. 

Dionne explica que a jornada da produção do documentário foi “terapêutica” e que “finalmente” poderá avançar para o “próximo capítulo” da sua carreira. “Espero que este documentário apresente Amy como mais do que apenas uma pessoa lutando contra o vício e, em vez disso, mostre a pessoa incrível que minha madrinha era", afirmou.