Notícias » Egito Antigo

No Cairo, arqueólogos encontram tumba de 2.000 anos com múmias e "zoológico" da era Ptolomaica

A prisão de ladrões de antiguidades revelou uma descoberta grandiosa no Egito

Thiago Lincolins Publicado em 08/04/2019, às 11h48

None
Reprodução

Escavações realizadas por ladrões de antiguidades no sítio arqueológico de Al-Dayabat, no Egito, revelaram grandes vestígios da era Ptolomaica. Os bandidos, que foram capturados pela polícia, encontraram uma tumba com pinturas, múmias e animais do Egito Antigo.

Após as investigações, o Ministério de Antiguidades do Egito iniciou uma missão arqueológica liderada por Mostafa Waziri, secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades do Egito. A tumba, que foi construída com salas minúsculas, guardava duas múmias em sarcófagos de calcário. De acordo com os pesquisadores, o local pertenceu a um nobre chamado Tutu e a sua esposa, uma artista. Entretanto, os restos mumificados são de uma mulher e uma criança.

Por dentro da tumba / Reprodução Xinhua Ahmed Gomaa

"Embora seja um túmulo muito pequeno do período ptolomaico, está excepcionalmente pintado com belas cenas", afirmou Waziri em comunicado.

Além das múmias, os arqueólogos também encontraram mais de 300 objetos e fragmentos, como 50 animais da era Ptolomaica (falcões, águias, gatos, cachorros e musaranhos mumificados). "Um grande número de musaranhos mumificados, que se parecem com ratos muito pequenos, mas com nariz mais longo, foram encontrados em perfeitas condições de preservação dentro da tumba de mais de 2.000 anos de idade", acrescentou Waziri.

Alguns dos animais encontrados / Reprodução Xinhua Ahmed Gomaa

As múmias e os animais encontrados estão sendo exibidos para os turistas que visitam o local. "É uma das descobertas mais excitantes na área", finalizou Mostafa.