Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Planta pênis

No Camboja, colheita da singular 'planta pênis' preocupa o governo

Ministério do Meio Ambiente do país fez pedido em publicação no Facebook, em que compartilhou fotos da espécie curiosa; veja!

Redação Publicado em 19/05/2022, às 10h43

'Plantas pênis' no Camboja - Divulgação/Ministério do Meio Ambiente do Camboja
'Plantas pênis' no Camboja - Divulgação/Ministério do Meio Ambiente do Camboja

O Ministério do Meio Ambiente do Camboja publicou no Facebook um apelo para que a população parasse de colher uma planta carnívora rara conhecida por ter aparência similar a de um pênis.

No post do pedido, feito no último dia 11, o governo do país aproveitou para anexar fotos de três mulheres recolhendo espécimes da planta-jarro e posando com as mudas, que se tornaram famosas por seu formato peculiar.

"O que elas estão fazendo é errado e, por favor, não faça isso de novo no futuro!", escreveu o ministério cambojano na publicação. "Obrigado por amar os recursos naturais, mas não colha para que seja desperdiçado!, acrescentou.

“Planta pênis”

A espécie peculiar encontrada no Camboja é chamada de Nepenthes bokorensis, um tipo de planta-chamo, como são chamadas popularmente as plantas do gênero Nepenthes, informaram Jeremy Holden, fotógrafo de vida selvagem e François Mey, ilustrador botânico ao site Life Science, repercutidos pela revista Galileu.

Pessoas coletando a planta no Camboja / Crédito: Divulgação/Ministério do Meio Ambiente do Camboja

O formato pelo qual a planta é mais conhecido — o fálico — acontece especialmente quando as folhas ainda estão em fase de desenvolvimento, o que a torna essencial para a sobrevivência da espécie. Depois disso, já maduras, elas se parecem mais com jarros.

A N. bokorensis se alimenta de insetos vivos, atraindo as presas com seu néctar e um perfume doce, fazendo com que os animais caiam dentro dos seus “jarros” e se afoguem em fluídos digestivos. Isso tudo porque as plantas precisam complementar sua alimentação por viverem em solos com poucos nutrientes.

Como a fase em que o formato fálico é mais pronunciado é fundamental para o seu crescimento, o governo insiste para que a população não recolha as plantas — nem quando elas já estiverem maduras. Segundo o ministério, isso pode extingui-las.

"Se as pessoas estiverem interessadas, mesmo que de forma engraçada, em posar e fazer selfies com as plantas, tudo bem", explicou François Mei. "Só não colha os jarros, isso enfraquece a planta, pois ela precisa deles para se alimentar."