Notícias » Arqueologia

No Irã, influenciador entra em sítio arqueológico e tira fotos com artefatos inexplorados

Soheil Taghavi causou indignação na comunidade arqueológica iraniana

Ingredi Brunato Publicado em 15/12/2020, às 15h43

Uma das fotografias que Soheil postou com ossos do local histórico
Uma das fotografias que Soheil postou com ossos do local histórico - Divulgação/ Instagram

No Irã, um influenciador chamado Soheil Taghavi entrou num sítio arqueológico inexplorado, escavando pedaços de cerâmica, um crânio e outros fragmentos de ossos para posar com eles em sua conta no Instagram. Conforme divulgado pelo Yahoo França, a ação causou grande repúdio na comunidade arqueológica iraniana. 

Fatemeh Aliasghar, uma jornalista do país que cobre notícias desse campo científico, foi uma das pessoas que explicou porque o que Soheil tinha feito era tão nocivo às peças desenterradas por ele.

Seu texto foi divulgado pelo The Observers, um portal francês: “Até mesmo tocar nesses artefatos com as mãos pode danificá-los. Ele também os moveu e posou para fotos e vídeos, sendo que a localização de cada pedaço de osso e de cada pedaço de cerâmica representa informações importantes, que foram destruídas por suas ações impensadas”, afirmou a jornalista. 

Fotografia de Soheil com diversos pedaços de cerâmica / Crédito: Divulgação/ Instagram 

 

Essa não foi a primeira vez que o influenciador iraniano cometeu um ato prejudicial do tipo com o objetivo de criar postagens para seus seguidores, que hoje são 29.000. Em 2018, Soheil jogou pó colorido na ilha de Hengam, no Golfo Pérsico, que também é um sítio arqueológico. 

Ainda segundo Fatemeh, as ações do Instagrammer também servem de exemplo para quão precária seria a segurança ao redor desses locais de importância histórica no Irã. Embora o influenciador tenha pedido desculpas pelo que fez após a repercussão de suas postagens, existe a possibilidade de punição legal para suas ações. 

Sobre arqueologia

Descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história. 

Sem dúvida nenhuma, uma das que mais chamam a atenção ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatra e Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.