Notícias » Crimes

No México, polícia encontra 3 mil pedaços de ossos em casa de suposto serial killer

Depois de quase um mês de investigações, o homem de 72 anos foi detido sob a suspeita de assassinato em série e canibalismo

Pamela Malva Publicado em 14/06/2021, às 13h00

Imagem dos investigadores na casa do suspeito
Imagem dos investigadores na casa do suspeito - Divulgação/ Vídeo/ Twitter/ @poloespejel

No último sábado, 12, a polícia do município de Atizapán, no México, se surpreendeu ao encontrar 3.787 pedaços de ossos humanos na casa de um suposto assassino em série. Segundo a agência Associated Press, via UOL, acredita-se que os restos sejam de pelo menos 17 vítimas do homem, que tem 72 anos e é suspeito de praticar canibalismo.

As investigações na casa do acusado começaram no dia 17 de maio e, até hoje, já revelaram diversas pistas além dos fragmentos de ossos. Durante as escavações na propriedade, foram encontrados sapatos femininos, maquiagens, oito celulares e uma lista de nomes, sem contar gravações de áudio e vídeo, que podem ser das vítimas.

Tamanha foi a indignação com o caso que, na mídia mexicana e nas redes sociais, o homem já foi apelidado de "Monstro de Atizapán". Isso porque, de acordo com a polícia, a suspeita é de que o idoso, cuja identidade não foi revelada, mas sabe-se que é um açougueiro aposentado, matava suas vítimas antes de comê-las.

Anteriormente, o suspeito já havia sido condenado pelo assassinato da esposa de um policial em serviço e, por enquanto, ainda não negou as novas acusções. Durante um tribunal, inclusive, o homem disse que chegou a arrancar a pele do rosto de uma mulher porque teria achado sua vítima “muito bonita”.

De acordo com os oficiais mexicanos, apesar das investigações na casa do suspeito, ainda não se sabe exatamente qual seria o número total de vítimas do homem. Mesmo assim, os detetives revelaram a descoberta das carteiras de identidade de mulheres desaparecidas há anos na propriedade do suposto serial killer e canibal.

Da mesma forma, ainda não existem informações sobre qualquer vítima do gênero masculino, mas os promotores acreditam que as descobertas estão longe de acabar. Sendo assim, os investigadores esperam fazer mais algumas revelações na casa do sujeito, cuja propriedade ainda não foi completamente averiguada.