Black Friday Amazon 2021
Notícias » Arqueologia

No Peru, pesquisadores encontram 25 esqueletos em sepultura

A descoberta foi feita em um famoso sítio arqueológico; novos estudos serão realizados

Redação Publicado em 12/11/2021, às 21h57

Registro dos restos mortais revelados no Peru
Registro dos restos mortais revelados no Peru - Divulgação/Vídeo/Wion News

No Peru, uma impressionante descoberta fora realizada em Chan Chan, um sítio arqueológico localizado ao norte do país. Em uma escavação surpreendente, arqueólogos se depararam com esqueletos de 25 pessoas.

Divulgação/Vídeo/Wion News

 

Entre os restos mortais, os estudiosos envolvidos na descoberta encontraram ossos de mulheres e crianças, representando a maioria. Os restos mortais revelados impressionam pelo estado de conservação e pela maneira como foram encontrados.

Divulgação/Vídeo/Wion News

 

O Yahoo News internacional repercute que os esqueletos foram encontrados sentados e envolvidos em inúmeras camadas de tecido. A primeira fora elaborada com algodão e a segunda com matéria vegetal.

Divulgação/Vídeo/Wion News

 

Itens em cerâmica

Além dos corpos, sepultura comum também apresentou aproximadamente 50 peças elaboradas em cerâmica. Sinthya Cueva, arqueóloga envolvida na descoberta e atualmente diretora do Programa de Pesquisa Arqueológica de Chan Chan, explica que os itens encontrados se relacionam com a produção do passado.

Divulgação/Vídeo/Wion News

 

“Todos os objetos encontrados ao lado deles têm a ver com a produção têxtil. Essas pessoas provavelmente se dedicavam a isso”, disse Cueva. Além disso, em entrevista à Reuters, ela ressalta que nenhuma das pessoas tinham mais de 30 anos até a morte.

Novos estudos 

Liderando partes onde se encontra o Peru, a cultura Chimú, que administrou Chan Chan no passado, teve seu ápice durante o século 15, antes de ser derrotado pelos Incas.

Vale destacar que, embora tenham realizado sacrifícios humanos, não existem evidências atuais de que o procedimento resultou na morte das pessoas encontradas no local, como explica Jorge Meneses Bartra, arqueólogo envolvido na pesquisa.

Divulgação/Vídeo/Wion News

 

O profissional também ressalta que, enquanto a posição de um dos esqueletos sugere que fora inserido na sepultura logo após falecer, outros teriam sido movidos depois. Novas pesquisas serão realizadas para entender o que causou as mortes.