Notícias » Personagem

Mais lidas: Norte-americana confessa ter forjado seu próprio sequestro

Sherri Papini chegou a infligir machucados a si mesma para tornar a história mais verossímil

Redação Publicado em 19/04/2022, às 13h20 - Atualizado em 24/04/2022, às 09h00

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - Divulgação/ Pixabay/ Meelimello

Em 2016, Sherri Papini, de 39 anos, foi encontrada no acostamento de uma rodovia três semanas depois de seu marido relatar seu desaparecimento às autoridades. Seu corpo estava repleto de machucados — incluindo marcas de cordas nos pulsos e tornozelos — e seu cabelo havia sido cortado. 

Quando levada à delegacia, a mulher afirmou que havia sido raptada por duas mulheres hispânicas, fato que deu início a uma caçada policial através dos Estados Unidos. O caso mobilizou tantos que voluntários participaram das investigações, e cerca de 49 mil dólares foram doados para a família de Panini

A história começou a cair aos pedaços, contudo, quando o FBI descobriu que ela havia passado aquele período na casa de um ex-namorado, conforme repercutido pela BBC. 

Recentemente, por fim, a norte-americana confessou em tribunal que forjou seu sequestro e infligiu os ferimentos com os quais foi encontrada. 

Suas mentiras à lei poderiam render até 25 anos de prisão, porém, graças à confissão, seus promotores recomendam que sua sentença dure um período entre 8 e 14 meses. Papini também concordou em pagar uma multa de 300 mil dólares em restituição ao custo da operação em busca de suas captoras fictícias. 

Histórico conturbado

A investigação que o FBI fez do caso também contou com depoimentos de conhecidos da mulher. O hábito de criar mentiras para chamar atenção teria sido citado por mais de um.

O advogado da estadunidense, por sua vez, alega que sua cliente possui "uma situação de saúde mental muito complicada", de acordo com a CNN. 

O juiz apenas tomará a decisão final a respeito das consequências legais que Papini deve enfrentar em 11 de julho deste ano.