Notícias » Brasil

Nos 200 anos da independência, Brasil quer coração de D. Pedro I emprestado

O desejo foi revelado pelo Itamaraty e embaixador para comemorar a data bicentenária

Wallacy Ferrari Publicado em 07/05/2022, às 14h03

O imperador Pedro I em retrato
O imperador Pedro I em retrato - Wikimedia Commons / Autor desconhecido

Durante os preparativos das comemorações dos 200 anos da Independência do Brasil, um pedido inusitado está mobilizando diplomacias brasileiras e lusitanas; autoridades tupiniquins teriam pedido o coração de D. Pedro Iemprestado para a igreja do Porto, onde o órgão está armazenado em um pote de vidro.

A proposta, revelada pelo embaixador brasileiro George Prata à Agência Lusa, ainda não foi formalizada, mas especulada pelo diplomata com representantes do local religioso e também da Câmara Municipal do Porto, que poderia autorizar a tramitação.

Isso ainda está num estado inicial e há considerações a serem tomadas. Talvez a mais importante delas seja o estado de conservação do coração e saber se ele poderia ser transladado temporariamente para o Brasil", disse Prata.

O Itamaraty também confirmou à Folha de S. Paulo que iniciou conversas com autoridades portuguesas para a possibilidade de administrar temporariamente o item nos solos brasileiros, mas sem especificar se seria exposto.

O coração de D. Pedro

Um fato não muito conhecido sobre os despojos do imperador é que em São Paulo, na Cripta Imperial, ele jaz sem seu coração. O órgão está separado e repousa dentro de um recipiente de vidro, na Igreja de Nossa Senhora da Lapa.

Foi uma das últimas vontades do monarca deixar, literalmente, seu coração para sempre em Porto. Isso porque ele nutria um amor muito grande por lá, local onde viveu de julho de 1832 a agosto de 1833. Também foi na cidade que o soberano disputou a guerra contra seu irmão, Dom Miguel I.