Notícias » Idade Média

Esqueleto medieval esfaqueado nas costas e enterrado de bruços é encontrado

O siciliano parece ter sido alvo de pelo menos seis facadas. Ele viveu um período turbulento, durante a invasão dos descendentes cristãos dos vikings

Alana Sousa Publicado em 04/02/2019, às 15h30 - Atualizado às 15h48

Homem segurando uma adaga
Getty Images

Em um enterro, datado do final do século 11 d.C., descoberto em 2013 durante a escavação na Itália, foi encontrado um esqueleto enterrado de bruços em um buraco raso, em uma vila romana na Sicília. A forma incomum de enterro intrigou os arqueólogos, que decidiram começar uma investigação aprofundada na ossada.

O grupo de arqueólogos da Universidade de Palermo, liderado por Roberto Miccichè, realizou uma análise utilizando uma modelagem 3D e tomografia computadorizada para descobrir mais detalhes sobre a vida do homem. Acredita-se que ele estava na casa dos 30 anos quando foi vítima de uma ação homicida.

Vítima de execução na Sicília medieval; International Journal of Osteoarchaeology

Enterrado de face para baixo, o homem medieval foi esfaqueado nas costas pelo menos seis vezes. Seus pés estavam muito próximos, levando os pesquisadores a acreditar que eles podem ter sido amarrados. O esfaqueamento violento até a morte foi causado por uma arma de combate de ponta afiada, como uma faca ou adaga.

A causa da morte foi perfuração do pulmão direito, pois todos os golpes foram dados nas costas da vítima, na parte do tórax. Algumas marcas mostravam que a lâmina provavelmente teria sido torcida.

Este padrão incomum e traumático sugere que o homem tenha sido executado durante um período caótico: “creditamos que nosso caso se enquadre no período de crise e reorganização social que ocorreu na Sicília, após a conquista normanda de 1061 d.C.", afirmam os arqueólogos.


Com informações de International Journal of Osteoarchaeology