Notícias » Pré-História

Nova espécie de macaco que viveu há 13 milhões de anos na Índia é descoberta por pesquisadores

Cientistas conseguiram encontrar um ancestral desconhecido do gibão graças a um artefato curioso

Alana Sousa Publicado em 10/09/2020, às 12h45

Imagem meramente ilustrativa de um gibão
Imagem meramente ilustrativa de um gibão - Divulgação/Pixabay

Um novo estudo, publicado no último dia 8, na revista científica Proceedings of the Royal Society B, revelou uma nova espécie de macaco que teria vivido há 13 milhões de anos, na Índia. A descoberta impressionou os pesquisadores que, por acaso, encontraram um vestígio que pode mudar conhecimentos básicos sobre os gibões, primatas pertencentes à família Hylobatidae.

Os resultados foram alcançados através de um dente fossilizado, localizado na região de Ramnagar. O pequeno artefato se destacou entre os especialistas quando, ao passar por exames detalhados, se mostrou distinto de qualquer outra espécie conhecida até então.

 Sítio de Ramnagar, na Índia / Crédito: Divulgação/Christopher Gilbert 

 

“Pela forma e tamanho do molar, nossa suposição inicial era que ele poderia ser de um ancestral do gibão, mas parecia bom demais para ser verdade, dado que o registro fóssil de macacos menores é virtualmente inexistente”, relatou no artigo o Dr. Christopher Gilbert, pesquisador do Departamento de Antropologia da Universidade de Nova York e a Divisão de Paleontologia do Museu Americano de História Natural.

A nova espécie, batizada de Kapi ramnagarensis, está sendo classificada como uma ancestral do gibão. Pesquisadores acreditam que o bicho pré-histórico pode também ser uma evidência para a migração desses animais pela Ásia, além de preencher lacunas morfológicas e biogeográficas na evolução dos hominoides.