Notícias » Paleontologia

Nova espécie portuguesa de espinossauro é descoberta, diz pesquisa

O Iberospinus nararioi viveu a cerca de 125 milhões de anos atrás e apresenta característica nunca antes vistas

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 02/03/2022, às 15h25

Reprodução 3D da possível nova espécie de espinossauro
Reprodução 3D da possível nova espécie de espinossauro - Divulgação / Mateus, Estraviz-López / Plos One

Nomeada em homenagem à Península Ibérica e ao arqueólogo que encontrou seus fósseis, Carlos Natário, a Iberospinus nararioi é uma nova espécie de espinossauro descoberta com base em uma ossada escavada há 23 anos. Pesquisadores encontraram características únicas nos fósseis que apontaram para a novidade.

Os autores Octávio Mateus e Dário Estraviz-López, especialistas em paleontologia da Universidade Nova de Lisboa e do Museu da Lourinhã, publicaram o seu estudo em 16 de fevereiro desse ano, 2022, no qual explicaram os sinais na ossada que indicavam um possível novo espinossauro.

De acordo com a cobertura da revista Galileu, os espinossaurídeos são alguns dos maiores carnívoros que já existiram, além de passar a maior parte de sua vida na água. As curtas patas, cabeça em formato de crocodilo e longa cauda são as características que o Iberospinus nararioi compartilha.

No entanto, a nova espécie, que foi previamente categorizada como Baryonyx walkery, é única em certos aspectos. Com cerca de 9 metros de comprimento e 125 milhões de anos de idade, o espinossauro mais recente mostra uma posição nova dos nervos na mandíbula e novo formato dos dentes, além de uma nunca-vista crista óssea no púbis.