Notícias » Crimes

Nova força tarefa do MP-RJ deve investigar o assassinato de Marielle Franco

Segundo o procurador-geral do Rio, a operação será chefiada por Simone Sibilio, promotora que coordenou as investigações

Fabio Previdelli Publicado em 04/03/2021, às 16h00 - Atualizado às 16h00

Marielle em discurso durante campanha municipal, em agosto de 2016
Marielle em discurso durante campanha municipal, em agosto de 2016 - Mídia NINJA / Flickr

Na tarde desta quinta-feira, 4, Luciano Oliveira Mattos de Souza, procurador-geral de Justiça do Rio, anunciou que o Ministério Púbico do Rio de Janeiro (MP-RJ) criará uma força-tarefa para concluir as investigações sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e de Anderson Gomes, seu motorista. 

A operação será chefiada pela promotora Simone Sibilio, que coordenou as investigações no Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP-RJ. Além dela, a equipe ainda contará com Letícia Emile, promotora que atuou nas investigações.

De acordo com Mattos, que assumiu o comando do MP-RJ em janeiro, "a força-tarefa é específica para esse caso [de Marielle franco] e outros que tangenciam a investigação. São no total de 14 a 15 procedimentos".Segundo explica, o caso contará com mais um nome que irá compor a equipe.  

Além disso, uma estrutura de apoio de investigação internas também será oferecida. "Os detalhes serão delineados mais à frente, porque faremos o ato formal de instalação", completou o procurador.

O Ministério Público do Rio também anunciou hoje, 4, que encerrará as atividades do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc), antigo responsável por investigar o senador Flávio Bolsonaro em um suposto esquema de corrupção. Assim, Mattos informou que essas atribuições serão repassadas do Gaecc para o Gaeco.