Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Reino Animal

Novo estudo revela detalhes da maior espécie de guepardo que habitou o planeta

Segundo os especialistas, Acinonyx pleistocaenicus é a maior espécie de guepardo que já andou pela Terra

Imagem ilustrativa de um guepardo - Licença Creative Commons via Pexels
Imagem ilustrativa de um guepardo - Licença Creative Commons via Pexels

Após examinar fósseis, cientistas identificaram a maior espécie de guepardo já registrada. Este predador colossal tinha o mesmo peso dos maiores felinos da atualidade e superava em mais de três vezes o peso dos guepardos modernos.

A espécie Acinonyx pleistocaenicus habitou a Eurásia de aproximadamente 1,3 milhão a 500 mil anos atrás. Foi descrita pela primeira vez em 1925, com base em um fragmento de mandíbula encontrado na província de Shanxi, no norte da China.

Neste novo estudo, os pesquisadores investigaram esses restos ao lado de fósseis recentes descobertos na China. Eles estimaram o peso do animal utilizando medidas como o comprimento do crânio, a altura do dente molar e a largura da estrutura óssea que conecta o crânio à coluna vertebral.

Conforme repercutido pelo site Live Science, os pesquisadores determinaram que o animal pesava provavelmente 130 quilos e poderia marcar 190 quilos, dado comparável ao de um tigre moderno ou leão. Além disso, esse peso era consideravelmente superior ao dos guepardos africanos modernos (A. jubatus), que geralmente pesam entre 34 e 64 quilos.

Entre os fósseis examinados estão duas mandíbulas descobertas em 2021 na caverna Jinyuan, no nordeste da China, e parte de um crânio coletado na década de 1930 no sistema de cavernas Zhoukoudian em Pequim. Todos os três espécimes datam de cerca de 780 mil anos atrás, durante o Pleistoceno (2,6 milhões a 11.700 anos atrás). 

Com o estudo, os pesquisadores descobriram que os animais extintos compartilhavam semelhanças com os guepardos africanos modernos. Alguns exemplos são a disposição dos dentes e até mesmo o espaço ósseo atrás do nariz, visto hoje em guepardos modernos.

Outros detalhes

A espécie A. pleistocaenicusdesapareceu há aproximadamente 500.000 anos. Segundo Qigao Jiangzuo, paleontólogo da Academia Chinesa de Ciências em Pequim, o declínio desse animal foi provavelmente influenciado pelas mudanças climáticas que ocorreram durante a transição do Pleistoceno Médio. 

Esses e outros detalhes sobre esta espécie de guepardo foram publicadas na edição de 15 de maio da revista Quaternary Science Reviews.