Notícias » China

Novo vírus da gripe com potencial pandêmico é encontrado em porcos na China, diz estudo

Apesar do alerta, o G4 EA H1N1, como foi chamado, está sendo monitorado por especialistas

Penélope Coelho Publicado em 30/06/2020, às 09h30

Imagem ilustrativa de um porco
Imagem ilustrativa de um porco - Pixabay

Em meio à pandemia do novo coronavírus — que já matou mais de 505.500 mil pessoas ao redor do mundo —, um novo estudo realizado na China alerta para uma nova cepa de um vírus na gripe no país, as informações são da agência de notícia Reuters.

Segundo a pesquisa publicada no periódico científico Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), o novo vírus está hospedado nos porcos, mas pode afetar humanos. Chamado de G4 EA H1N1, a enfermidade apresenta chances de ser altamente adaptável para infectar pessoas. Por isso, os cientistas estão atentos e monitorando a doença. 

A preocupação agora é que o vírus sofra uma mutação maior e acabe se espalhando rapidamente, gerando outra emergência de saúde mundial, já que essa espécie do vírus influenza é nova, e os humanos podem ter pouca, ou, nenhuma resistência à ela.

Para os especialistas, medidas para a contenção do G4 EA H1N1 devem ser tomadas rapidamente, além disso, monitorar de perto os trabalhadores também é uma ação de extrema importância nessa situação.

"No momento estamos distraídos com o coronavírus e com razão. Mas não devemos perder de vista novos vírus potencialmente perigosos.", afirmou o professor Kin-Chow Chang, da Universidade de Nottingham, em entrevista para a BBC.

Monitoramento

Em resposta à pesquisa, a Organização Mundial da Saúde (OMS), afirmou que irá analisar a publicação. De acordo com o porta voz da organização, Christian Lindmeier, é importante se manter informado sobre eventuais descobertas.

Na última terça-feira, 29, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, falou em coletiva de imprensa sobre as atitudes que serão tomadas no país neste momento: “Tomaremos todas as medidas necessárias para evitar a disseminação e o surto de qualquer vírus.”, afirmou Lijian.