Notícias » Estados Unidos

“O racismo atrasa os Estados Unidos”, diz Joe Biden em discurso

Pronunciamento no Congresso durou cerca de 70 minutos

Fabio Previdelli Publicado em 29/04/2021, às 10h21

Joe Biden durante discurso no Congresso
Joe Biden durante discurso no Congresso - Getty Images

Na noite de ontem, 28, o presidente norte-americano Joe Biden fez um pronunciamento de aproximadamente 70 minutos no Congresso, onde tratou de temas como o racismo e a restrição de armas no país. As informações são do UOL. 

Em sua fala, o democrata usou o caso George Floyd como exemplo para justificar uma ampla reforma policial no país. Admitindo que “o racismo atrasa os Estados Unidos” e dizendo que este é um problema “sistêmico”. 

"Temos que nos unir para reconstruir a confiança entre a aplicação da lei e as pessoas a quem servem, para erradicar o racismo sistêmico em nosso sistema de justiça criminal e para decretar uma reforma policial em nome de George Floyd e já ser aprovada na Câmara", declarou. "O racismo atrasa os Estados Unidos". 

Biden também aproveitou a ocasião para falar sobre um problema que ele considera uma “epidemia na América”: a violência armada. Para isso, o presidente americano pediu para que o Congresso fizesse reformas para restringir o número de armas no país. 

"Não preciso contar isso a ninguém, mas a violência armada se tornou uma epidemia na América... Eu não quero mais conflituoso, mas precisamos de mais republicanos do Senado para se juntar à maioria geral dos colegas democratas e fechar as brechas exigidas na compra de armas, de verificação de antecedentes. Precisamos de uma proibição de armas e carregadores de alta capacidade." 

Ele disse que essas mudanças para a restrição de armamento têm o “apoio esmagador do povo americano”, o que inclui até mesmo muitos proprietários de armas. Se um país apoia a reforma, o Congresso deve agir. Isso não deve ser uma questão vermelha ou azul", fazendo referências as cores dos partidos democrata e republicano. 


Sobre o Joe Biden 

No dia 7 de novembro de 2020, a projeção da agência Associated Press confirmou que o candidato democrata Joe Biden conseguiu atingir 274 delegados — 4 a mais do que o necessário —, sendo eleito o 46º presidente dos Estados Unidos. O presidenciável disputava a vaga contra o republicano Donald Trump, que buscava a reeleição. 

O anúncio da vitória ocorreu após o término da apuração no estado da Pensilvânia. Biden também venceu na contagem de votos totais, com mais de 4 milhões de votos. Veículos como a CNN, The New York Times e NBC também apontaram a vitória do democrata.

Joe Biden não apenas é responsável por tirar o título do ex-apresentador de ‘O Aprendiz’, como também bateu um recorde do antecessor: É o mais velho a assumir o cargo de presidente dos Estados Unidos. 

Formado em história, ciência política e direito, Biden atuou por algum tempo como advogado antes ir para a área da política. Ele foi um senador bem-sucedido, certa vez tendo até seis mandatos consecutivos. 

As duas últimas vezes que tentou concorrer a presidência, não teve sucesso. Foi nessa segunda tentativa, inclusive, que ele se aproximou de Barack Obama, e os dois políticos acabaram formando a chapa que venceu as eleições de 2008 nos Estados Unidos. Biden foi o vice de Obama durante seus dois mandatos.