Notícias » Brasil

Objeto fálico verde e amarelo exibido durante manifestação foi levado por grupo infiltrado

O objeto inflável apareceu em uma manifestação bolsonarista no último dia 7

Redação Publicado em 08/09/2021, às 11h54

Objeto inflável durante manifestação
Objeto inflável durante manifestação - Divulgaçao / Twitter / @pontejornalismo

Um objeto inflável presente em uma manifestação bolsonarista ocorrida na última terça-feira, 7, gerou uma grande polêmica nas redes sociais. Agora, após diversas teorias, o mistério foi finalmente revelado.

Conforme aponta a revista Fórum, o curioso objeto verde e amarelo em formato fálico, foi visto na concentração do ato dos bolsonaristas na Avenida Paulista, em São Paulo. Para piorar a situação, nele estava escrito a frase do exército “braço forte, mão amiga”.

Segundo a fonte, surgiram diferentes teorias nas redes sociais, com análises indicando que aquele seria um objeto de adoração dos apoiadores do presidente. Contudo, a verdade logo surgiu.

Tudo não passou de uma brincadeira realizada por estudantes que se infiltraram durante o ato. A revelação foi realizada pelo perfil do twitter Jairmearrenpi.

O ato 

Ao falar com apoiadores, o presidente disse que não vai acatar decisões de Alexandre de Moraes, ministro do STF. De acordo com ele, sem maiores explicações, a 'paciência' do povo brasileiro se 'esgotou'.

"Dizer a vocês, que qualquer decisão do senhor Alexandre de Moraes, esse presidente não mais cumprirá. A paciência do nosso povo já se esgotou, ele tem tempo ainda de pedir o seu boné e ir cuidar da sua vida. Ele, para nós, não existe mais”, afirmou ele durante discurso.

'Se enquadra ou ele pede para sair'

O presidente vai contra a Constituição, que impede o desacato de uma decisão judicial. Bolsonaro também disse que Alexandre precisa se ‘enquadrar’.

"Ou esse ministro [Alexandre de Moraes] se enquadra ou ele pede para sair. Não se pode admitir que uma pessoa apenas, um homem apenas turve a nossa liberdade. Dizer a esse ministro que ele tem tempo ainda para se redimir, tem tempo ainda de arquivar seus inquéritos. Sai, Alexandre de Moraes. Deixa de ser canalha. Deixa de oprimir o povo brasileiro, deixe de censurar o seu povo. Mais do que isso, nós devemos, sim, porque eu falo em nome de vocês, determinar que todos os presos políticos sejam postos em liberdade", disse ele, conforme repercutido pelo portal de notícias G1.