Notícias » Espaço

Objeto misterioso que orbita estrela emite poeira misteriosa

Chamado de TIC 400799224, objeto provavelmente integra um sistema estelar binário

Fabio Previdelli Publicado em 05/01/2022, às 16h26

Imagem óptica/infravermelha próximo do céu em torno do objeto TIC 400799224
Imagem óptica/infravermelha próximo do céu em torno do objeto TIC 400799224 - Divulgação/ Powell et al., 2021

O Transiting Exoplanet Survey Satellite (Tess) — projeto de telescópio espacial liderado pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts, usado em um programa de pequena exploração da NASA — foi lançado no espaço em 2018 e, desde então, já descobriu 172 exoplanetas; além de compilar uma lista com mais de 4.700 candidatos. 

O Tess, além disso, também criou uma lista, chamada de Catálogo de Entrada Tess (TIC, na sigla em inglês), com mais de 1 bilhão de objetos, que resultaram de planetas em desintegração, sistemas estelares triplos em eclipses, choques de supernovas e diversas outras coisas. 

Porém, um deles chamou a atenção: o misterioso objeto variável TIC 400799224. O item foi descoberto por uma equipe do Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics (CfA), que publicou um estudo sobre ele na revista The Astronomical Journal.

Mas o que o faz chamar a atenção?

O TIC 400799224, que provavelmente integra um sistema estelar binário, foi localizado acidentalmente, após uma rápida variação em seu brilho, cerca de 25% em apenas quatro horas. Após esse período, outras variações mais acentuadas aconteceram, o que muito se assemelha com um eclipse, por exemplo, como explica matéria da Revista Planeta. 

Segundo a equipe de pesquisadores, uma das estrelas do sistema binário pulsa em um período de 19,77 dias e o fenômeno acontece por conta deste corpo orbital que emite, de tempos em tempos, nuvens de poeira que acabam ocultando o astro. 

Apesar da periodicidade ser regular, as ocultações de poeira não são, possuindo erráticas formas, durações e profundidades, além de serem vistas em apenas um terço de seu tempo, em média. 

Outro ponto que chama a atenção é a quantidade de poeira emitida, que é comparável com a desintegração do asteroide Ceres em nosso Sistema Solar. Durante seis anos que o objeto foi observado, a periodicidade do fenômeno foi a mesma, assim como a poeira, que permaneceu intacta. O objeto continuará sendo estudado, a fim de determinar suas variações ao longo das décadas.