Notícias » Austrália

Obras de arte que retratavam líderes chineses como Ursinho Pooh e Batman são retiradas de galeria australiana

Segundo as fortes acusações do público, as obras feitas pelo artista Luke Cornish que substituíam a imagem do ditador Mao Zedong eram racistas

Daniela Bazi Publicado em 27/03/2021, às 11h00

Mao Zedong em pintura oficial
Mao Zedong em pintura oficial - Getty Images

A galeria australiana Ambush Gallery, localizada na Universidade Nacional da Austrália, em Canberra, foi obrigada a retirar as obras do artista Luke Cornish de sua exibição, onde retratavam líderes chineses como os personagens Batman e Ursinho Pooh após inúmeras reclamações do público. As informações são do Daily Mail.

Segundo Cornish, ele recebeu “centenas de mensagens” afirmando que três de suas obras presentes na exposição seriam racistas. “Era uma mentalidade muito agressiva, então a galeria fez um apelo para retirar as obras de arte”, afirmou o artista.

Em uma das peças, a imagem de Mao Zedong, revolucionário comunista chinês, utilizada nas cédulas foi substituída pelos personagens. O intuito da exposição seria representar a pressão enfrentada pela população devido à pandemia do coronavírus.

Obras retiradas da galeria / Crédito: Divulgação/Instagram/Luke Cornish

 

Luke pediu desculpas pelas obras, afirmando que sua intenção era fazer uma brincadeira sobre as teorias relacionadas à origem do vírus, e que não pensou no preconceito sofrido pelo povo chinês desde o início da pandemia.

No entanto, o artista não se desculpou por suas outras duas obras que, segundo ele, “tiravam sarro” do regime autoritário.“Toda a intenção da exposição é iniciar conversas, e é isso que acontece, mas não vou me desculpar por convocar o genocídio”, comentou Cornish.