Notícias » Espaço

Observatório do Atacama usará telescópio gigante para buscar vida em outros planetas

Especialistas participam de corrida para obter descobertas com esse novo tipo de tecnologia

Paola Orlovas, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 03/11/2021, às 15h06

Observatório Las Campanas, no Atacama
Observatório Las Campanas, no Atacama - Wikimedia Commons

Cientistas e observadores casuais sempre buscaram explorar os céus do deserto do Atacama, mas agora um novo telescópio gigante promete mudar o curso das descobertas feitas no território chileno e no mundo.

Trata-se do Telescópio Gigante de Magalhães (GMT), que, custando 1,8 bilhão de dólares e prometendo uma resolução dez vezes maior do que a do Hubble, está sendo construído no Observatório Las Campanas, segundo a CNN Brasil.

Ele começará a operar no fim da década, rivalizando outros telescópios do mesmo porte, como o Extremely Large Telescope (Telescópio Extremamente Grande), do Observatório Europeu do Sul, também dentro do deserto chileno, e o Thirty Meter Telescope, que está sendo construído no Havaí.

Há uma expectativa que o GMT seja capaz de detectar moléculas orgânicas na atmosfera de planetas distantes, e coloque o Las Campanas na frente dos outros observatórios por isso. O diretor da instituição, Leopoldo Infante, destacou a competição durante uma entrevista à CNN:

É uma corrida desses três grupos para quem termina primeiro e quem faz a primeira descoberta”, disse.