Notícias » Coronavírus

Ômicron pode ter surgido em camundongos, diz pesquisa

A nova variante da Covid-19 vem causando alerta ao redor do mundo

Penélope Coelho Publicado em 08/01/2022, às 09h17

Imagem ilustrativa de camundongo
Imagem ilustrativa de camundongo - Divulgação/Pixabay/carlitocanhadas

Um recente estudo publicado pela revista científica no Journal of Genetics and Genomics, revela indícios de que a nova variante da Covid-19, Ômicron, pode ter surgido a partir de camundongos. Sabe-se que a cepa vem causando o aumento de casos ao redor do mundo, gerando alerta. 

Segundo o estudo, pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências identificaram que o novo coronavírus teria infectado ratos com 45 mutações, depois disso, o vírus teria sido transferido de volta aos humanos.

De acordo com informações publicadas na última quinta-feira, 6, pela revista Galileu, os envolvidos no estudo também concluíram que a Covid-19 teria se espalhado em roedores pelo fato da Ômicron atacar diretamente as células, fazendo uma clivagem pela enzima catepsina.

No entanto, os especialistas não sabem de qual camundongo a nova cepa teria surgido. Por isso, alertam para a importância do sequenciamento genético em animais, principalmente aqueles que têm contato com seres humanos.

"Dada a capacidade do Sars-CoV-2 de saltar através de várias espécies, parece provável que as populações globais enfrentarão variantes adicionais de origem animal até que a pandemia esteja bem sob controle”, pontuam os pesquisadores.

Sabe-se que outra hipótese a respeito do surgimento da Ômicron é a de que a cepa teria evoluído a partir de um caso grave, em um paciente com infecção prolongada.

Confira a pesquisa completa neste link.