Notícias » Coronavírus

OMS monitora nova variante do coronavírus chamada Mu

A mutação entrou para a lista da Organização em 30 de agosto

Luíza Feniar Migliosi Publicado em 01/09/2021, às 13h35

Teste de coronavírus são feitos para monitorar casos
Teste de coronavírus são feitos para monitorar casos - Getty Images

A Organização Mundial da Saúde está monitorando uma nova versão do coronavírus que foi incluída em sua lista de “variantes de interesse”, já que há uma preocupação de que possa ser resistente a imunidade feita pela vacinação ou infecções anteriores, de acordo com o jornal The Guardian.

A nova variante, conhecida como Mu ou B.1.621, entrou para a lista da OMS em 30 de agosto, depois de ter sido detectada em 39 países e ter suas mutações avaliadas como menos suscetíveis à proteção imunológica já adquirida.

A variante Mu foi identificada pela primeira vez na Colômbia em janeiro de 2021. Desde então, casos esporádicos e alguns surtos foram registrados ao redor do mundo. Além da América do Sul, Reino Unido, Europa, Estados Unidos e Hong Kong relataram casos.

Embora a variante represente menos de 0,1% das infecções por Covid-19 em todo o mundo, ela, possivelmente, está conquistando terreno na Colômbia e no Equador, onde já é responsável por 39% e 13% dos casos de coronavírus, respectivamente.

Segundo boletim semanal da OMS, há uma “constelação de mutações que indicam propriedades potenciais de escape imunológico". Os dados preliminares assemelham a variante Mu à Beta, encontrada pela primeira vez na África do Sul, mas o relatório espera confirmar com novas pesquisas.

Cientistas da saúde pública estão ansiosos para saber se a variante Mu é mais transmissível ou se causa doenças mais sérias do que a variante Delta, que é dominante em grande parte do mundo.

Pelo menos 32 casos da nova variante já foram detectados no Reino Unido. O padrão de infecções sugere que viajantes em várias ocasiões a levaram. Um relatório da Public Health England, em julho, afirmou que a maioria dos casos estava em Londres e que as pessoas mais atingidas estavam na casa dos 20 anos. Alguns resultados positivos para Mu receberam um ou duas doses da vacina contra coronavírus.

A ameaça que a variante Mu representa é altamente incerta e dependerá da quantidade de casos nas próximas semanas e meses, especialmente com a presença da variante Delta.