Notícias » Mundo

ONU anuncia que seu programa de combate à fome mundial precisaria de 6,8 bilhões de dólares

A previsão, que considera apenas os próximos seis meses, leva em conta a situação mais precarizada provocada pela pandemia de covid-19

Ingredi Brunato Publicado em 13/10/2020, às 16h29

Desenho de menino esfomeado dividindo pão com cachorro
Desenho de menino esfomeado dividindo pão com cachorro - Divulgação/ Flickr/ Rebecca Magar

O Programa Mundial de Alimentos da ONU anunciou nessa terça-feira, 13, que precisa fazer uma arrecadação de 6,8 bilhões de dólares para conseguir estancar o problema da fome ao redor do globo durante os próximos seis meses.

O projeto, que procura evitar que a fome seja usada como uma arma de guerra, recebeu um Prêmio Nobel da Paz na semana passada pelas suas atuações até então. 

O problema da fome havia entrado em declínio nos últimos anos, contudo, desde 2016, conflitos e mudanças climáticas provocaram uma nova subida. Agora, a pandemia pode intensificar a questão ainda mais. 

Segundo David Beasley, diretor-executivo desse programa, que discursou em uma conferência montada pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), 7 milhões de pessoas morreram de fome até agora em 2020. "Se não solucionarmos a covid, (a) taxa de mortes por fome pode ser 3, 4, 5 vezes isso", disse ainda ele. 

É para solucionar isso que o Programa Mundial de Alimentos lançou sua meta de arrecadação. Até o momento, o projeto já conseguiu 1,6 bilhões de dólares, mas ainda está longe do ideal. 

"Se você pensar na riqueza da Terra hoje, não deveríamos ver uma única criança passar fome ou morrer de inanição", concluiu Beasley.