Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Brasil

Operação da PF retira 2 mil armas de aeroporto alagado no Rio Grande do Sul

Para evitar uma investida de facções, a Polícia Federal realizou uma operação para retirar o armamento do Aeroporto Internacional Salgado Filho

Imagens dos agentes da PF na região do aeroporto - Reprodução/Instagram/cot.pf.oficial
Imagens dos agentes da PF na região do aeroporto - Reprodução/Instagram/cot.pf.oficial

Nesta quinta-feira, 9, uma operação da Polícia Federal removeu cerca de 3 mil armas, incluindo fuzis e metralhadoras, do Aeroporto Internacional Salgado Filho, de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. A ação visava a prevenção de saques de grupos criminosos.

Conforme repercutido pelo UOL, o aeroporto se encontra alagado e interditado por tempo indeterminado, em razão das enchentes que atingiram o estado na última semana, tirando a vida de mais de cem pessoas. 

O início do monitoramento do Comando de Operações Táticas (COT) da PF começou nesta quarta-feira, 8, com agentes circulando os arredores do aeroporto com barcos. O cerco foi formado para evitar saques em geral na área, que se encontra sob responsabilidade da Polícia Federal. 

Operação de segurança

As forças de segurança estavam preocupadas com um carregamento de 2.000 a 3.000 armas da Taurus, pronto para ser exportado para os Estados Unidos. Após a operação, o COT permanece em patrulhas de barco ao redor do aeroporto, impedindo a chegada de criminosos, além de ajudar em possíveis operações de resgate na área.

Em nota, a Taurus afirmou que as armas não se encontram mais no aeroporto, sem divulgar mais detalhes. “A Taurus junto com os órgãos de segurança sempre garantiu a total segurança da carga.”

Desde o início das enchentes, as forças de segurança federais, estaduais e municipais têm trabalhado no Rio Grande do Sul para combater e prevenir saques em residências, empresas e prédios públicos.