Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Estados Unidos

Ordem assinada por Biden considera ‘cura gay’ como prática enganosa

Documento também visa coibir a discriminação contra jovens transgêneros; saiba mais!

Fabio Previdelli Publicado em 16/06/2022, às 11h35

Joe Biden, presidente dos EUA - Getty Images
Joe Biden, presidente dos EUA - Getty Images

Na última quarta-feira, 15, o presidente norte-americano Joe Biden assinou uma ordem executiva que visa coibir a discriminação contra jovens transgêneros. Além do mais, o documento busca diminuir consideravelmente os fundos federais que financiam a chamada ‘cura gay’.

A ordem firmada pelo democrata determina que agências do governo não ofereçam mais “terapia de conversão” em programas financiados pelo Estado. O decreto ainda estabelece que a Comissão Federal de Comércio dos EUA considere a ‘cura gay’ como uma prática enganosa. 

Ao invés do tratamento — que, em tese, promete uma mudança ou supressão a orientação sexual ou a identidade de gênero das pessoas —, o documento assinado por Biden determina que departamentos federais de saúde e educação expandam suas atividades para o acolhimento médico de jovens trans. 

Temos muito trabalho a fazer”, declarou o presidente norte-americano em pronunciamento.

Mês do Orgulho LGBTQIA+

Conforme aponta a Reuters, um recente levantamento do Trevor Project, grupo que trabalha para previnir o suicídio da população LGBTQIA+, mostrou que cerca de 650 milhões de dólares (R$3,23 bilhões) são gastos anualmente nos Estados Unidos com a terapia de conversão. Essa quantia contabiliza não só o pagamento feito por companhias de seguro como também por programas de saúde financiados pelo Governo para pessoas de baixa renda. 

Em junho, além do mais, também é celebrado o mês do Orgulho LGBTQIA+, escolhido por conta da revolta de Stonewall, que ocorreu em um bar de Nova York, em 1969, quando travestis, lésbicas e gays protestaram contra a violência que sofriam em abordagens policiais. Saiba mais sobre o assunto através de matéria publicada pela equipe do site do Aventuras na História clicando aqui!