Notícias » Paleontologia

Ossada de mamute de 10 mil anos pode levar à clonagem de animais pré-históricos

De acordo com os especialistas, esses restos mortais bem preservados ajudarão em uma análise laboratorial para a reconstrução de animais extintos

Penélope Coelho Publicado em 05/08/2020, às 14h43

Crânio de mamute de 10 mil anos
Crânio de mamute de 10 mil anos - Divulgação/ Artem Cheremisov / Siberian Times

Após uma expedição despretensiosa em um lago localizado na península russa de Yamal, cientistas recuperaram os restos mortais de um mamute extremamente bem preservado, em julho deste ano.

De acordo com informações divulgadas no site Ancient Origins, os especialistas acreditam que o animal tenha pelo menos 10 mil anos. Por isso, os paleontólogos ficaram surpresos quando encontraram restos que ainda continham carne e pelos. Os pesquisadores acharam o crânio do animal, além de ossos da parte dianteira do corpo e também costelas.

O clima da Sibéria vem sofrendo grandes alterações em decorrência de incêndios recorrentes e, dessa forma, as mudanças climáticas permitiram que os restos mortais do mamute ficassem mais próximos da superfície para que fossem encontrados.

Pesquisadores ao lado de fóssil do mamute / Crédito: Divulgação/ Artem Cheremisov / Siberian Times

 

Inovação

Contudo, a revelação dessa descoberta traz à tona a presença de DNA do mamute, a partir disso, os pesquisadores pretendem usar esse elemento em alguns experimentos científicos. Especialistas da Rússia, Japão, EUA, e Coreia do Sul tentam há muitos anos realizar testes de clonagem de animais pré-históricos.

Como os restos mortais do bicho ainda contavam com a presença de tecidos moles, é possível que a chave para a recriação de seu DNA seja encontrada. Por isso, o governo da Rússia financiou um laboratório local a fim de conseguirem vencer na corrida para a clonagem animal. Como o mamute foi encontrado no país, realizar esse feito se tornou uma questão de prestigio nacional.

Além dos possíveis testes que serão realizados no futuro, atualmente os cientistas trabalham para desvendar a causa da morte e quantos anos o mamute tinha quando faleceu, já que essas questões ainda não foram respondidas.