Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Arqueologia

Osso de urso esculpido por neandertal há 130 mil anos pode ser arte simbólica

Novo estudo aponta fragmento de osso de urso esculpido como um dos primeiros artefatos de "cultura simbólica" já descobertos na Europa; entenda!

Osso de urso esculpido por neandertais - Divulgação/Płonka et al/T. Gąsior
Osso de urso esculpido por neandertais - Divulgação/Płonka et al/T. Gąsior

Pesquisadores sugerem que um osso de urso, datado de quase 130 mil anos, foi deliberadamente entalhado por Neandertais, tornando-o uma das primeiras formas de arte da Eurásia. O osso cilíndrico, com 10,6 centímetros de comprimento, exibe 17 cortes paralelos, e provavelmente foram feitos em uma única sessão por um indivíduo destro, segundo novo estudo publicado no Journal of Archeological Science.

Descoberto em 1953 na caverna Dziadowa Skała, ao sul da Polônia, o osso data do período Eemiano (entre 130 mil e 115 mil anos atrás), uma das épocas mais quentes da última era glacial. O fato de ter sido esculpido e estudos sobre ele revelam mais sobre o comportamento, a cognição e a cultura dos já extintos "primos" dos humanos.

Para o novo estudo, os pesquisadores realizaram uma tomografia computadorizada no osso e o analisaram a partir de um modelo digital em 3D, que apontou que as marcações apresentavam características de organização intencional, sendo repetitivos, semelhantes, limitados e organizados. Isso pode sugerir que o indivíduo neandertal que o esculpiu não apenas o rabiscou aleatoriamente, mas poderia ter capacidades cognitivas avançadas.

+ Pesquisadores recriam em 3D rosto de mulher neandertal de 75 mil anos atrás

Estudo

Primeiro, para compreender como foram feitas as incisões, os pesquisadores realizaram marcas experimentais em ossos de gado com réplicas de lâminas de sílex e de facas do Paleolítico Médio, como as que seriam usadas na incisão. Assim, descobriram que as marcas foram feitos com movimentos rápidos e repetidos, e em direção ao operador da faca.

A maioria das incisões tem uma extremidade semelhante a uma vírgula muito característica que se curva para a direita. Quando nosso experimentador, que era destro, moveu o instrumento de pedra em sua direção, as incisões se curvaram para a direita", explica Tomasz Płonka, professor de arqueologia da Universidade de Wrocław, da Polônia, ao WordsSideKick.com. "Portanto, sabemos que o Neandertal que fez essas incisões era uma pessoa destra".

Vale mencionar que os neandertais costumavam fazer marcas paralelas semelhantes em ossos, o que os pesquisadores agora pensam ser um tipo de cultura simbólica, segundo o Live Science. Isso pode sugerir "uma prática cultural que tinha significado e função", em vez de "produtos de hábitos pessoais inconscientes como os rabiscos modernos", segundo Paul Pettitt, da Universidade de Durham, no Reino Unido, ao WordsSideKick.com.