Notícias » Brasil

Pai chegou rapidamente até creche alvo de atentado em SC: "Caiu meu mundo"

Evandro Sehn correu para a instituição, mas deu de cara com a filha de 1 ano e 7 meses sem vida

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 05/05/2021, às 17h16

Imagem ilustrativa de uma boneca quebrada
Imagem ilustrativa de uma boneca quebrada - Imagem de Pam Simon por Pixabay

O pai de uma das crianças vítimas de ataques com uma adaga no município de Saudades, em Santa Catarina, não conseguiu salvar a filha de um ano de idade; motorista de transporte escolar, Evandro Sehn foi entrevistado pelo portal UOL, relatando que ouviu de um colega que o ataque ocorria, partindo com pressa até a creche.

Ele explicou que a esposa do amigo trabalhava na instituição, resultando na tentativa: "Ele me ligou desesperado avisando. Vim a mil por hora, infelizmente não deu tempo". Contudo, ao chegar, reconheceu o corpo da filha pela compatibilidade dos itens que ela usava horas antes, quando foi deixada pelo pai no local.

“Já tinham achado minha filha, só não me contaram. Eu vi o cabelinho dela e duas xuxinhas que foram feitas de manhã no cabelo dela, caiu meu mundo”.

Sua filha Sarah Luiza Mahle Sehn, que completaria dois anos de idade em 5 meses, foi uma das vítimas fatais do atentado, como noticiou o portal G1.

Evandro acrescentou que tratava-se de sua única filha, planejada cuidadosamente pelo casal: "Ela era muito esperta, muito inteligente, era tudo para nós, era linda. Era uma menina esperta, feliz, educada, vai ficar essa memória, os vídeos e as fotos, vai ficar essas memórias boas. Levou uma parte de nós junto”, concluiu durante o sepultamento.