Notícias » Inglaterra

Pai é condenado na Inglaterra por matar filho, após acreditar que ele era o 'diabo'

Zak Bennett-Eko, de 23 anos, decidiu abandonar seu filho de apenas 11 meses de idade em um rio na Inglaterra, pois o bebê "estava se transformando no diabo"

Giovanna de Matteo Publicado em 01/12/2020, às 09h26

Zak Bennett-Eko alegou que sofre de esquizofrenia paranoica
Zak Bennett-Eko alegou que sofre de esquizofrenia paranoica - Divulgação

Zak Bennett-Eko, de 23 anos, na Inglaterra, acreditava que seu filho de apenas 11 meses de idade "estava se transformando no diabo". Em consequência de sua crença mirabolante, ele decidiu abandonar o seu bebê no rio Irwell em Radcliffe, na Grande Manchester, onde ele acabou morrendo afogado, em setembro de 2019.

Agora, meses após o acontecimento, o homem foi condenado pelo tribunal de Nightingale na Inglaterra.

Segundo a BBC, Zak foi julgado e culpado de homicídio culposo, porém com responsabilidade reduzida, após alegar que sofria de esquizofrenia paranoica. 

Durante os seis dias de julgamento, a história que foi contada pelo pai do neném falecido foi, no mínimo, insólita. No dia 11 de setembro de 2019, ele saiu com a criança, que estava no carrinho de bebê.

Durante o passeio, Zak teria visto duas mulheres endiabradas, com "olhos do diabo", que mandaram-no afogar seu filho no rio. Ele então decidiu obedecer às suas alucinações e, depois de deixar o bebê no local, se dirigiu até um pub da cidade, onde foi preso.

O crime causou polêmica por conta da situação mental do pai, que deixa dúvidas quanto a culpabilidade ou intenção real de matar, já que ele estava em um episódio de paranoia. Conforme divulgado pela BBC, três dias antes do homicídio o homem teria desistido de uma internação que solicitou no North Manchester General Hospital. 

O promotor Rob Hall afirmou que no dia do crime a companheira de Zak, Emma Blood — que no momento estava em outra gestação — conversou com o homem e o ameaçou deixar caso ele não começasse a se tratar, "porque ela não seria capaz de cuidar de dois bebês e dele".

Hall acredita que "pode ser que essa troca tenha criado a semente na mente de Zak de que eles [o casal] estariam melhor sem Zakari [o bebê recém-nascido]". A sentença oficial deve ser anunciada amanhã, 2.